Data: 03/01/2019 16:00:32
Por: Maycon Morano, diretor de Comunicação Institucional da Câmara Municipal
Experiência se adquire com o tempo, afirma Geraldo da Padaria
Parlamentar exercerá pela segunda vez cargo de segundo secretário da Mesa Diretora

Enviar esta notícia para um amigo

Foto:Comunicação CMPP

"Meu primeiro mandato foi de muito aprendizado, com vários políticos de outros mandatos que me ensinaram. A gente se afasta um pouco de discussões por falta de experiência, que se adquire com o tempo", pondera o segundo secretário da Mesa Diretora, vereador José Geraldo de Souza (Geraldo da Padaria).

Em entrevista para o Departamento de Comunicação Institucional da Câmara Municipal de Presidente Prudente, o parlamentar relembra infância na roça; a vida toda que trabalhou em farmácia; e a guinada para se tornar "da Padaria" e buscar uma cadeira no Legislativo municipal.

"Sempre gostei de política, mas ficava nos bastidores, inclusive quando morei no Rio de Janeiro. E essa vontade de fazer algo para o próximo eu sempre tive comigo. Foi assim que começou minha vontade de ter um leque maior de opções para ajudar as pessoas", ressalta Geraldo da Padaria.

O vereador se candidatou pela primeira vez em 2008, quando obteve 481 votos e ficou como suplente. Na segunda tentativa, em 2012, foi eleito com 1.377 votos - na ocasião, fez parte da Mesa Diretora do 1º biênio como segundo secretário. E, no atual mandato, eleito no pleito de 2016 com 1.418 votos - assume agora a cadeira durante o 2º biênio Mesa Diretora.

"Sou de uma família humilde de Taciba, de nove irmãos que trabalhavam e viviam na roça. Sempre tive praticamente à frente da família, por ser um dos mais velhos, o segundo dos nove. E, por isso, a preocupação do que fazer em tanta gente. Quando comecei a ir para a cidade para estudar, vim para Taciba morar com minha avó e estudar. Alguns anos depois meus pais e irmãos vieram também para a cidade", recorda.

A mudança para Presidente Prudente ocorreu com 14 anos, quando José Geraldo de Souza conseguiu um emprego na Brasaço e estudava a noite na Escola Estadual Monsenhor Sarrion, onde concluiu o ensino médio. "Aqui em Prudente, meu pai, Sebastião Batista de Souza, se tornou funcionário público e aposentou como motorista do Parque de Obras - sempre ao lado de miha mãe Aparecida de Souza. Ainda muito novo comecei a trabalhar em farmácia e com 18 para 19 anos, fui para São Paulo, trabalhar no ramo. Fiquei quase um ano e meio. Foi uma época muito difícil, passei necessidade por não conhecer ninguém", pontua.

"Depois recebi convite para ir para o Rio de Janeiro, sempre trabalhando com farmácia. Aí passei a ser gerente, em seguida meu patrão me chamou para sociedade e conseguimos possuir três farmácias e uma loja de sucos", lembra.

O vereador ainda aponta que, durante todos os anos morando na capital fluminense, sempre teve o desejo de retornar para Presidente Prudente. "Visitava meus pais ao menos duas vezes no ano. E minha vontade era voltar. Falei com minha esposa de vender as coisas no Rio e ir para Prudente. Ela disse que não queria; continuei insistindo, mas ela continuou negando. Depois, decidi que viria mesmo assim. Nos separamos e dividimos o que lhe era de direito", afirma.

"Vim para Prudente e abri uma farmácia em um ponto na Rua Siqueira Campos, quase na esquina com o Calçadão da Rua Tenente Nicolau Maffei. Nesta época fui convidado pelo PV para sair candidato, mas ainda não fui eleito", menciona. "Depois do crescimento das grandes drogarias, ficou muito ruim para nós, 'pequenos', e acabei vendendo o ponto. Passei a vida toda vendendo remédio e me questionei o que iria fazer. Fiquei cerca de quatro meses em casa sem saber o que fazer", fala o parlamentar.

O nome de urna utilizado surgiu por conta de um convite de um primo, que possuía uma padaria no Conjunto Habitacional Ana Jacinta. "Ele me chamou para cuidar da empresa durante uns três meses, enquanto tirava férias. Quando ele e o sócio retornaram, decidiram me efetivar como funcionário e fiquei por quatro anos", explica.

O agora Geraldo "da Padaria" menciona que nesta época, após a experiência do primeiro pleito, iniciou o pedido de apoio e ajuda para a comunidade bem antes das eleições. E foi eleito pela primeira vez, "com 70% dos votos no Ana Jacinta". "Agora, quando reeleito, já ampliei meus votos para todos os bairros da cidade", acrescenta.

Por fim, o vereador ainda cita a veia política da família. "Minha família sempre foi envolvida, eram meus tios, algum parente que foi vereador ou prefeito. O segundo prefeito de Taciba foi meu tio José Batista de Souza [1959 a 1962]. Tem o Marcelo [de Souza Silva] que foi três vezes prefeito [1989 a 1992, 1997 a 2000 e 2009 a 2012] e é meu primo", cita.

"Hoje sou casado com Leila de Oliveira Souza, tenho meus filhos Ana Paula Santos de Souza, Márcio Santos de Souza, Layla Caroline de Oliveira Cunha e João Pedro Oliveira de Souza; e os netos Lorena, Henri, Bárbara e Olívia", menciona.

"Agora, em meu segundo mandato, sei como lidar com a política em si. Hoje posso dizer que sou político, que consigo trabalhar, buscar soluções para o município. Estudar como elaborar leis, como analisar as leis, como funciona o Poder Executivo para cobrar as ações", finaliza o segundo secretário, Geraldo da Padaria.

Veja a entrevista completa com Geraldo da Padaria no vídeo abaixo:

Reportar erro

Vereadores - VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA - 17ª LEGISLATURA
Vereadores Licenciados da Legislatura
Próxima Sessão

Sessão Ordinária


07/03/2019